logo misa

Promovendo a Liberdade de Expressão na África Austral

mediamaisO MISA-Moçambique tomou conhecimento do assalto perpetrado contra as instalações do Grupo Media Mais, proprietário da Rádio e Televisão Mais, na madrugada do último Sábado, dia 1 de Fevereiro de 2020.


De acordo com a Administração daquela empresa de comunicação, o assalto visou essencialmente o sector técnico e operacional, de onde foram retirados equipamentos indispensáveis ao funcionamento da sua estação de Televisão. Como consequência, as emissões da Televisão Mais estiveram temporariamente suspensas, enquanto meios alternativos eram procurados para o seu relançamento.

O MISA-Moçambique considera este assalto um acto de sabotagem deliberada, com o intuito de prejudicar o contínuo funcionamento daquele órgão de comunicação social, e através disso privar o público de acesso às suas emissões.

O MISA-Moçambique considera qualquer acto de sabotagem a um órgão de comunicação social, um grave atentado contra a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa, pressupostos fundamentais para o desenvolvimento de uma sociedade democrática, pluralista e diversificada.

Ao mesmo tempo que condena de forma veemente e sem reservas esta mais uma tentativa de intimidar o sector da comunicação social e impedi-lo de realizar o seu trabalho de informar, educar e entreter, o MISA-Moçambique lança mais uma vez um apelo às autoridades do Estado moçambicano para que investiguem o caso e punam exemplarmente os seus actores, ao mesmo tempo que tomam medidas para que casos semelhantes não venham a ocorrer no futuro.


Maputo, aos 2 de Fevereiro de 2020