logo misa

Promovendo a Liberdade de Expressão na África Austral

O MISA Moçambique tomou o conhecimento, com enorme preocupação, do roubo de equipamento e vandalização da sede da SOJORNAL, empresa proprietária do jornal Redactor e da revista Prestígio, ocorrido entre as 19 horas do dia 06 e 10 horas do dia 07 de Agosto corrente, em Maputo.

Da avaliação preliminar aos danos, para além de vandalizar o local, os malfeitores furtaram três máquinas fotográficas Canon 7D e um aparelho de rádio de sala e respectivas colunas (LG).

Esta é a terceira vez em que a SOJORNAL é roubada, em menos de três anos. A primeira ocorreu em Junho de 2018 e a segunda em Dezembro do mesmo ano.

De acordo com relatos dos gestores do grupo SOJORNAL, diferentemente das anteriores investidas, os malfeitores visaram exclusivamente o gabinete do Director Editorial, que foi brutalmente vasculhado e vandalizado.

À semelhança das anteriores ocorrências, a Polícia da República de Moçambique (PRM) foi notificada sobre o sucedido. Todavia, nenhum dos casos teve o devido esclarecimento.

Para o MISA Moçambique, o não esclarecimento destes atentados grosseiros contra a Liberdade de Imprensa transmite a ideia de impunidade dos crimes contra a imprensa em Moçambique e estimula os malfeitores a prosseguir com as suas investidas.

O MISA Moçambique repudia reiteradamente este e qualquer acto de furto de equipamento jornalístico e vandalização de redacções. O MISA faz lembrar que é dever do Estado e das autoridades policiais esclarecer quaisquer actos que minem a Liberdade de Expressão e de Imprensa no país.